CIDADES TRANSBORDADAS >>> PROJETO

Belo Horizonte / MG

Temos no Brasil vários exemplos de cidades planejadas que mesmo com o rigor e previsibilidade de seus projetos não conseguiram conter o improviso e a inventividade em sua implementação e dinâmica cotidiana. Num primeiro momento, em 2014 quando o projeto Cidades Transbordadas foi idealizado pelos integrantes do JA.CA, cinco capitais planejadas em diferentes períodos históricos foram selecionadas: do tempo do império (Teresina, fundada em 1852), da instauração da república (Belo Horizonte, inaugurada em 1897), da política de incentivo à ocupação e desenvolvimento do Centro Oeste brasileiro encampada por Vargas (Goiânia,criada em 1932) e renovada pelo espírito desenvolvimentista e moderno de JK (Brasília, inaugurada em 1960), chegando à recente redemocratização após o período de ditadura militar (Palmas, fundada em 1989).

Um ano mais tarde, o edital para qual enviamos a versão idealizada sofreu cortes, e desta maneira, a cidade de Goiânia ficou para ser explorada em outra oportunidade.

Nos concentramos em pesquisar Teresina, Belo Horizonte, Brasilia e Palmas: cidades que extrapolaram seu traçado inicial, criando outras ocupações imprevistas e originais, nas visitas nos interessaram as bordas destas cidades, investigando as proposições que não contavam nos planos originais. A proposta foi promover um encontro entre 'artistas com pesquisas que envolvem ideias de cidade, de paisagem e uma reflexão crítica sobre a noção de projeto.' Foram convidados André Severo que acompanhado de Mateus Mesquita esteve em Teresina; Beto Shwafaty visitou Brasília com Francisca Caporali e Márcio Gabrich; enquanto Yana Tamayo e Joana Meniconi foram à Palmas. Todos vieram ao JA.CA e em Belo Horizonte convidamos Fabíola Moulin para contribuir com o projeto. 'Cidades Transbordadas buscava justamente encontrar na fricção entre o projeto e sua realização (no caso, o planejamento urbano) o espaço para pensar o lugar dos artistas e das proposições poéticas como forma de compreender o espaço em formação, a paisagem em transformação.'

O projeto foi contemplado pelo Prêmio Rede Nacional de Artes Visuais da Funarte/Minc e as viagens de pesquisas aconteceram entre agosto e dezembro de 2016.